SELIC

selic

A taxa SELIC é um índice pelo qual as taxas de juros cobradas pelo mercado se balizam no Brasil.

É a taxa básica utilizada como referência pela política monetária.

Próxima Reuniões do COPOM

Datas das Reuniões:

10 e 11 de janeiro
21 e 22 de fevereiro
11 e 12 de abril
30 e 31 de maio
25 e 26 de julho
5 e 6 de setembro
24 e 25 de outubro
5 e 6 de dezembro

O Banco Central (BC) divulgou nesta sexta-feira o calendário de reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) em 2018.

Serão oito encontros ao longo do ano: em 6 e 7 de fevereiro; 20 e 21 de março; 15 e 16 de maio; 19 e 20 de junho; 31 de julho e 1º de agosto; 18 e 19 de setembro; 30 e 31 de outubro; e 11 e 12 de dezembro.

Anúncios

544 comentários sobre “SELIC

      • Descer um pouquinho pra 7%aa. Uma baita patamar pra um Brasil que não mudou nada. Isso me faz pensar….vai segurar aqui ate quando? Juros tem que ficar de olho sempre aberto. Brasil se ganha muito com juros….e não vai ser diferente nesse momento 😉

        A carta apos a decisão será um divisor para os gestores. O time que aposta que vai beliscar 6,5-6% ao longo de 2018 quer algo nesse sentido. Ja o time que acha que fica nos 7% ate a eleiçao mostrar quem venceu…..quer uma carta bem objetiva nesse ponto.

        Os fundos RF e os MM estão esperando essa carta pra sentirem nas suas cotas e poderem “magicamente” tentar melhorar o cenario pro fechamento do ano. Se segurem….essas semanas de dezembro prometem 🙂

        Valeu!!!

        Curtido por 2 pessoas

    • todos esperam 8%. Logo, mais uma queda de 1 e depois 0,25 OU se o BC quiser fazer novela com o decorrer da politica e tal….quedas pequenas agora e uma ultima la no final. Eu acredito por hora, que trava em 8%.

      Nao temos condição tributaria, fiscal e politica de termos algo abaixo de 8%. Mesmo com inflação de 4% ou menor. è questão simples. Temos todo um sistema que foi e esta montado para juros altos. Não basta so baixar de um lado. Se o dia dia nao permite as pessoas e as empresas de usarem isso, a coisa não anda. Não é atoa que o Brasil é um pais de juros altos. O sistema pede isso. As reformas são um caminho de tentar alterar o sistema. Mais elas não saem como deviam. Elas sao fatiadas. Elas sao sem efeito prático. Isso afeta la na frente.

      Ao olhar qualquer pais, grande ou pequeno que possuem juros civilizados o que vemos em comum? Um sistema pratico e funcional. Temos isso no Brasil?

      Não quero ser o pessimista ou o azedo…..to sendo prático. Ate 8% a gente pode conseguir, vejam…PODE conseguir caminhar. Se baixarem na marra vai acontecer o que sempre aconteceu….ja ja volta juros altos novamente. Por hora…vamos ver se ajuda aos FII, a bolsa e aos COE. o fluxo de RF segue indo pra RV…ao menos essa queda ajuda aos estrangeiros a coçarem a mao pra entrar logo, pois ta muito lenga lenga esses Bilhoes que ainda estao so na espera.

      E os fundos? Mesmo pensamento….querendo ouo nao, com a queda tem que buscar algo na RV. A queda em si ajuda a todos os mercados de RV e da mais liquidez a muitos ativos. Isso é bom.

      Esperar, aproveitar e ver no que vai dar 🙂

      Valeu!!!

      Curtido por 1 pessoa

      • Gama,
        Perfeito, é isso aí mesmo
        As vezes parece que o Brasil gosta de viver nas alturas…juros altos, reformas altamente improdutivas, políticos puramente e altamente egocêntricos…..
        De uma forma ou outra é isso daí…não se consegue (ou não se quer) as reais e necessárias mudanças.
        Na minha carteira não tenho FIIs, sempre que começo a ler algo e pensar em investir, não fico nada confortável nas possíveis variações….acho que sou um “eterno” conservador…rsrs

        Curtido por 1 pessoa

  1. BC divulga calendário de reuniões do Copom em 2018

    O Banco Central (BC) divulgou nesta sexta-feira o calendário de reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) em 2018.

    Serão oito encontros ao longo do ano: em 6 e 7 de fevereiro; 20 e 21 de março; 15 e 16 de maio; 19 e 20 de junho; 31 de julho e 1º de agosto; 18 e 19 de setembro; 30 e 31 de outubro; e 11 e 12 de dezembro.

    Curtido por 1 pessoa

    • Ja ta votado….sem dúvida que segue com cortes de 1%. Ta bem claro que iremos a 8,5% em Dezembro.

      Claro que tem alguns fatores que podem alterar essa trajetoria. Mais por hora, esse caminho ta traçado e sacramentado.

      Valeu!!!

      Curtir

    • Pessoal,

      Votei em 1%. Ainda mais agora depois do FED bonzinho e da europa acordando para suas eleições (efeito holanda). Sem contar que todas as entrevistas do BC e de players ligados ao mercado da como certo este corte. So por isso votei nele.

      Eu acho que deveria seguir firme com 0,75 e levar o tempo que for pra acertar as coisas na casa. Mais sabemos que com a eleição e com a lava jata batendo as portas….temos que acelerar as coisas. Enfim, votei e expliquei…..e vcs?

      Valeu!!!

      Curtir

      • Votei no 1 % . Acho que a gana de fazer a economia retomar logo vai pesar. Ainda mais depois do sucesso dos leilões dos aeroportos, da mudança de viés no rating do Brasil, vão pingando noticias positivas !!!

        Curtido por 1 pessoa

    • BC sinaliza novas quedas
      Ao anunciar a redução dos juros, o Banco Central informou que o comportamento da inflação permanece favorável.
      “O processo de desinflação é mais difundido e indica desinflação nos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária. Houve ainda uma retomada na desinflação dos preços de alimentos, que constitui choque de oferta favorável”, avaliou.
      As expectativas de inflação apuradas pela pesquisa Focus, com o mercado financeiro, apontou o BC, recuaram para em torno de 4,4% para 2017 e mantiveram-se ao redor de 4,5% para 2018 e horizontes mais distantes.
      “Esse cenário embute hipótese de trajetória de juros que alcança 9,5% e 9% ao final de 2017 e 2018, respectivamente”, acrescentou a instituição.
      O BC concluiu, porém, que a “extensão” do ciclo de corte dos juros dependerá das estimativas da taxa de juros estrutural da economia brasileira, que continuarão a ser reavaliadas pelo Comitê ao longo do tempo.”
      “O Copom ressalta que uma possível intensificação [aumento] do ritmo de flexibilização monetária [redução dos juros] dependerá da estimativa da extensão do ciclo, mas, também, da evolução da atividade econômica, dos demais fatores de risco e das projeções e expectativas de inflação”, infomou.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Sigo conforme o anunciado pelo BC: 0,75% ate o fim do ano…

    Nosso BC ta muito transparente e tudo segue ainda a favor do Brasil. Se nao tivermos uma reviravolta ate la….iremos buscar 9% ou pouquinho acima disso ate dezembro. Sera? Tem possibilidade… 🙂

    Valeu!!!

    Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s